14.4.15

Lovely Combinations #1 novo e velho

créditos link


















Camisetinha novíssima do Batman, masculina. Veio ao meu encontro perto do caixa da Renner, perdida em muuuuitas T-shirts da Marvel (ew!). R$19,90. Junto tem uma bolsinha antiga da C&A. Amo muito e não esqueço o achado: R$29,90. Pra representar o lado velho, tem uma sainha de bolinhas pretas e vermelhas, largada no guarda roupa por anos mas finalmente saiu para passear, link. E só foi R$ 5 reais no brechó  ♡.
*registrando para me inspirar 

 

8.4.15

{DIY} Arco/Tiara de Turbante

{DIY} Arco/Tiara de Turbante
Você vai precisar de:
- 1 tiara, arco, diadema, o que for. Pode ser de qualquer espessura mas recomendo que use de 0,5 cm ou mais.
- 2 pedaços de tecido com aproximadamente 40 cm de comprimento cada e a largura que preferir. No caso aproveitei as mangas de uma camisa que eu tinha customizado.
- 2 pedaços de tecido para arrematar as pontas (no caso eu, MagGyver, usei os punhos das mangas hahaha)
- linha e agulha ou, se preferir, cola quente

1. Faça um ''u'' com a primeira tira de tecido e passe a outra dentro dela (terceira imagem).

2. Arranje no arco da forma que preferir. Eu fiz de como que simulasse, de fato, que eu estava usando um lenço na cabeça, sabem? Então dei pontinhos com linha e agulha estratégicos, até para evitar volumes estranhos, haha. Aí, você cola com cola quente ou costura o arco nas faixas. O arco fica por baixo, não por dentro. Depois, costure as pontas da melhor maneira possível, focando em deixar pouco volume (cuidado, rs).

3. Tampe a costura e faça o acabamento com os punhos ou o seu pedacinho de tecido retangular. Eu não terminei a tiara no fim do arco. Estendi um centimetro até para ficar mais confortável e evitar que o ferro do arco incomode a minha cabeça. Você pode costurar/colar do jeito que indiquei na foto ou fazer que eu acabei fazendo no final, afinar mais.

4. Experimente, faça os seus ajustes no formato e fim, tá prontinho! Como o meu cabelo é curto e cacheado, usar lenço no cabelo solto (passando pela nuca) é quase impossível, fica um volume não-intencional. Então, para resolver esse problema faço ''turbantes'' assim, nos arquinhos (ou tiaras, como chamamos aqui).
 

Beijos  curtam a página do blog no fb e espero que gostem!
 

p.s: Não reproduza esse conteúdo INTEGRALMENTE no seu blog. Internet tá LOTADA de conteúdo duplicado, além de ser muito chato para quem fez post original. Se usar, credite com o link da postagem.

3.4.15

5 Fontes Vazadas para Download

5 Fontes vazadas para download (grátis!)

Algumas fontes foram encontradas no behance.net. Não colocarei o LINK DIRETO para download pois é justo não desvincular o link com a apresentação da fonte, e, consequentemente o portfolio do artista. Na página da fonte vai ter ''Download'' ou ''Pay with a tweet'' (quando o link só é disponibilizado quando você faz um tweet sobre através da plataforma pay with a tweet) é super simples e vale a pena. Qualquer coisa é só me perguntar :)

 

30.3.15

101 em 1001: Bordado de constelação

93. • fazer um bordado de constelação    //link



Achei fofo para uma primeira tentativa de bordado. Depois quero tentar com um tecido azul marinho e linhas douradas. Quem sabe até mini lantejoulas de estrela? Uma coisa mais sofisticada? haha :)
Mais fotos: @bellammms
  
 

25.3.15

Filmes e livros // Fev

 Deixando claro que isso não é ai-meu-Deus uma crítica. Sou só eu falando o que me dá na telha, opinião bem pessoal. Comentem!

Saibam que depois que minhas aulas começaram, não tá sendo fácil para os meus livros e filmes. Eu lia muito ao pegar ônibus, mas perdi o hábito. E filmes? Ih, março teve ainda menos que fevereiro. Mês triste.

1. Tiny Furniture (Sinopse)
Aos 22 anos, Aura volta para a casa da sua super bem-sucedida mãe em Tribeca levando: um inútil diploma de teoria de cinema, 357 hits na sua página no Youtube, um namorado que a abandonou para ir ao Burning Man se achar, e um hamster moribundo. Por sorte, sua melhor amiga de infância nunca saiu de casa, o restaurante do quarteirão está contratando e ela encontra possibilidades românticas em cada esquina. Aura rapidamente joga fora seus tamancos e oscila entre a nova e a velha vida: um trabalho fim de carreira de hostess, bebendo todo o vinho da organizada adega da sua mãe, e competindo com a sua irmã adolescente prodígio. Aura só quer que alguém lhe diga quem ela é.
 Tenho uma relação esquisita com a Lena Dunham. Vou deixar para falar sobre quando opinar sobre o livro dela. Enfim, Lena é famosa por fazer coisas que nem sempre descem bem. Fiquei a maior parte do filme alternando entre ter dó da Aura e achar ela uma vacilona. Além de que tem momentos que você fica ''pelo amor de Deus, mulher. Te cuida, aff!'' É. A cara dela. Minha nota no Filmow foi 2,5/5.

2. Amor à Toda Prova (Sinopse)
O quarentão Cal Weaver (Steve Carell) tem a vida dos sonhos: bom emprego, boas condições de vida, é casado com seu amor da adolescência, filhos bem comportados... Mas essa vida perfeita desaba depois da descoberta de que Emily (Julianne Moore), sua esposa, está tendo um caso e quer divórcio. Desamparado, Cal conhece Jacob Palmer (Ryan Gosling), um cara que vai ensiná-lo a ter estilo, beber e paquerar mulheres.
 Bonitinho, engraçadinho, fofinho nhé nhé nhé. Assisti pela Emma Stone dizendo que o Ryan Gosling parece um photoshop. (opa, um personagem disse pro outro). É muito bom pra dar umas risadas :p Minha nota no Filmow: 3/5.

3. Minhas mães e meu pai: (Sinopse)
O filme conta a história de dois irmãos que decidem encontrar o homem que doou o sêmen que os gerou, pois ambos são filhos de um casal lésbico. Após a chegada do doador, a harmonia da família fica irremediavelmente abalada.
Hmm.. é um filme legal. Mas essa ~harmonia abalada~ é abalada da forma mais meh possível. E aí depois o filme acaba e fica faltando um monte de ''pingos nos is''. Sei não, poderia ser melhor e tal. Mas eu devo ter gostado pois avaliei como 3/5.

4. Teoria de Tudo (Sinopse)
O filme conta sobre o relacionamento do famoso físico Stephen Hawking (Eddie Redmayne) com sua esposa Jane (Felicity Jones), desafiado pela doença de Hawking, portador de esclerose lateral amiotrófica.
 Eu sabia que o Hawking era uma pessoa incrível e tal mas conhecia muito pouco. Não tô dizendo que esse filme super lindinho me fez tomar conhecimento das ~~profundezas~~  da vida do Hawking, não. Mas só me chamou atenção pra ele. O filme é lindo e eu chorei várias vezes (não só eu). O senso de humor e as superações, ai, ai. Indico muito! :P 4,5/5 (amei mesmo sorry not sorry)

5. My Fair Lady (Sinopse)
Henry Higgins (Rex Harrison), um intelectual e professor de fonética, aposta que conseguirá, no período máximo de seis meses, transformar Eliza Doolittle (Audrey Hepburn), uma simples florista de rua que não sabe falar direito, em uma dama. Mas a tarefa se mostra muito mais difícil do que tinha sido imaginada originalmente.
Ai, a Audrey tá impecável nesse filme e é tudo muito bem feito e lindo. Mas lamento dizer que odiei o final. Acho esse professor nhenhe de fonética um babaca e queria que a Eliza sambasse na cara dele. No final não foi isso que aconteceu. ): (spoiler) 3/5.

6. Third Person
A trama segue três casais lidando com dilemas de relacionamento em Roma, Paris e Nova York. Um dos personagens é um escritor (Liam Neeson), o que dá ao título sua “terceira pessoa”. Ele e Olivia Wilde estão na subtrama parisiense; ela faz uma repórter que cobre festas na cidade e ele vive seu amante, um autor tentando escrever seu novo romance.
É um filme complexo que não parece complexo. Você meio que percebe que tinha que ter prestado atenção só no final do mesmo, rs. Mas enfim. É bom. Me perturbou um tiquinho, fala de relacionamentos, foco em pessoas fazendo babaquices nos mesmos. Recomendo, é bom pra quem gosta de juntar pecinhas durante o filme pra desvendar o final ;) 3/5.


ai, odeio a tradução desse título. Me remete quando aquelas moça pra provar que são superiores inflam o peito e falam ''Não sou uma dessas mulheres (insira qualquer coisa pejorativa aqui)'' Só eu?

Tá. Eu gostei do livro. Gosto de tudo que dá um foda-se para a barreira do bonitinho, cheirosinho e privado. Acho muito foda a Lena sentir que a história dela merece uma biografia (uma bem sinistra por sinal). Enfim, que ela merece ser lida. Por essas e outras respeito muito o livro. Algumas vezes era engraçado e outras eu lia por pura curiosidade e perplexidade. Essa moça é uma coisa, viu. O livro é uma lindeza por dentro, cheio de ilustrações bonitinhas e eu leria outras coisas da Lena, sim. Tudo que ela faz não tem a intenção de nos fazer sentir dentro de um filme cool cheio de pessoas felizes vestindo Valentino (nada contra, mas gosto de ter acesso à histórias em realidades diferentes).  Eu acho válido e se me trouxer desconforto, bom também! Nota: 3,5/5.